Ex-presidente das Maldivas é alvo de atentado; estado é crítico

0
12

Policiais isolam área após ataque terrorista contra Mohamed Nasheed, primeiro presidente democraticamente eleito das Maldivas e atual presidente do Parlamento, em Malé, em 6 de maio de 2021 — Foto: Mohamed Sharuhaan/AP

Mohamed Nasheed, primeiro presidente democraticamente eleito das Maldivas e atual presidente do Parlamento, foi alvo de um ataque terrorista na noite de quinta-feira (6) em Malé, capital do país.

Nasheed foi ferido em uma explosão perto da sua casa e foi levado ao hospital. Ele passou por “múltiplas cirurgias” e seu estado é “crítico”, divulgou o hospital nesta sexta-feira (7).

- Anúncio Patrocinado -

Segundo o hospital, o político teve “ferimentos na cabeça, no tórax, no abdómen e nos membros” e foi submetido a “um procedimento final crítico para salvar sua vida”.

As cirurgias foram bem-sucedidas e Nasheed “continua em estado crítico na terapia intensiva”, de acordo com o comunicado.

A polícia das Maldivas classificou nesta sexta a explosão como um ato de terrorismo, mas nenhum suspeito foi identificado até o momento.

Ninguém assumiu a responsabilidade pela explosão, que reavivou preocupações com a segurança no país do Oceano Índico.

As Maldivas são conhecidas por suas praias paradisíacas e seus resorts de luxo, mas também tem enfrentado agitação política e violência militante islâmica (veja mais abaixo).

Atriz indiana de Bollywood publica foto de viagem às Maldivas — Foto: Reprodução/Instagram

A Austrália se ofereceu para ajudar na investigação do ataque.

O atual presidente das Maldivas, Ibrahim Mohamed Solih, disse em um discurso na TV que o atentado foi um “ataque à democracia” e que investigadores australianos chegarão no sábado (8).

Quem é Mohamed Nasheed

Mohamed Nasheed foi o primeiro presidente democraticamente eleito do arquipélago do Oceano Índico e comandou o país entre 2008 e 2012.

A presidência de Nasheed pôs fim a um regime autocrático de 30 anos, mas próprio mandato foi encurtado após ele renunciar em meio a protestos.

Ele foi derrotado na eleição presidencial seguinte e tornou-se inelegível para a disputa em 2018 por causa do tempo que ficou preso. Seu aliado e colega de partido, Solih, ganhou a eleição.

Foto de 14 de fevereiro de 2019 do ex-presidente das Maldivas e atual presidente do Parlamento, Mohamed Nasheed, durante discurso em Nova Délhi, na Índia, sobre mudanças climáticas — Foto: Manish Swarup/AP

O político permanece uma figura influente e foi eleito presidente do Parlamento em 2019. Ele tem criticado abertamente o extremismo religioso no país, cuja maioria da população é muçulmana sunita.

Pregar e praticar outras religiões são proibidos por lei nas Maldivas.

Nasheed também defende esforços globais para combater as mudanças climáticas, especialmente a elevação do mar que ameaça as ilhas baixas do país.

As Maldivas são um país de 540 mil habitantes no Oceano Índico formado por 26 atóis que, por sua vez, são formados por mais de 1 mil ilhas de coral.

O país é conhecido por suas praias paradisíacas e seus resorts de luxo — e raramente tem ataques violentos.

Extremismo religioso

Mas as Maldivas têm passado por um aumento no extremismo religioso e tem um dos maiores números proporcionais de terroristas do Estado Islâmico que lutaram na Síria e no Iraque.

Autoridades anunciaram em janeiro que oito presos estavam planejando atacar uma escola e estavam construindo bombas em um barco no mar.

A polícia também disse que eles realizaram treinamento militar em ilhas desabitadas e recrutaram crianças.

Em 2015, o ex-presidente Abdulla Yameen escapou ileso após uma explosão em sua lancha.

Em 2007, uma explosão em um parque da capital, que foi atribuída a militantes islâmicos, teve como alvo turistas estrangeiros e feriu 12 pessoas.

VÍDEOS: as últimas notícias internacionais

- Anúncio Patrocinado -